BIOGRAFIA DE CARL ROGERS

Carl Rogers ( 1902 - 1987) Carl Rogers nasceu no dia 8 de janeiro de 1902 em Parque de Carvalho, Illinois, subúrbio de Chicago. Filho de engenheiro, teve uma infância isolada e uma educação rígida . Estudou teologia e transformou-se em pastor de uma pequena igreja de Vermont. Foi na Universidade de Columbia que despertou uma inclinação para a psicologia clínica e educacional. Em 1942 escreveu seu primeiro livro. Teve seu trabalho clínico voltado para as crianças em 1931. Nesta clínica, ele aprendeu sobre a teoria de Otto Grau e técnicas de terapia .Rogers soube unir com perspicácia terapêuticas o conceito do organismo humano e as possibilidades de sua ação. Confirmando pela prática que o cliente em seu procedimento, normalmente sabe melhor que o terapeuta. Ele sentia que o cliente era quem deveria dizer o que estava errado, deveria achar maneiras de melhorar, e deveria determinar a conclusão de terapia. No serviço Carl Rogers era extremamente cauteloso. Foi atraente a gerações sucessivas de pedagogos informais. Os temas e preocupações que ele desenvolveu tem uma relevância direta ao trabalho desses profissionais, como indivíduos preocupados aparentemente. Pedagogos informais também tiveram acesso a estas idéias. Seus temas eram geralmente aplicados em trabalho terapêutico com grupos. A teoria inteira é construída sobre a "força de vida" , que pode ser definida como uma motivação intercalada em toda a forma de vida, a fim de desenvolver seus potenciais, creditando suas possibilidades. Segundo Rogers, toda criatura se esforça para fazer o melhor , se assim não é feito, não é por falta de desejo. Seus conceitos psicoterápicos como " empatia," " reflexão," consideração positiva " incondicional, são idéia que trabalhadas por profissionais certos chegam a ser uma arte, explorando e curando a psique. Por exemplo, psicologia de ego, teoria de relações de objeto, são claras noções humanísticas , ingredientes necessários para a ego-atualização. Rogers pode ser considerado um desbravador. "Reflexão têm que vir do coração--deve ser genuíno, correspondente." Destaque para três qualidades especiais 1. Congruência--autenticidade, honestidade com o cliente.2. Empatia--a habilidade para sentir isso com os tatos do cliente.3. Respeito--aceitação, consideração positiva incondicional para o cliente. Ele diz que estas qualidades são " necessárias e suficientes: " Se o terapeuta mostrar estas três qualidades, o cliente melhorará, até mesmo se nenhuma outra técnica " especial " for usada. Se o terapeuta não mostrar estas três qualidades, a melhora do cliente será mínima, não importa quantas " técnicas " forem usadas. "Ele era um dos primeiros, se não O primeiro, psicólogo para propor uma teoria inclusiva sobre psicoterapia. Antes de Rogers, quase todas formas de terapia centraram ao redor de psiquiatria e psicanálise." Carl Rogers era um comunicador realizado, também era um médico comprometido que olhou às próprias experiências , dominava uma concentração em técnica e método. Liberdade para Aprender , é uma declaração clássica de possibilidade educacional. Carl Rogers, era um professor talentoso. Sua aproximação com essa área cresceu da orientação em encontros profissionais. Ele se viu como um facilitador - alguém que criou o ambiente para um compromisso. A facilidade com que manipulava suas habilidades como professor, favoreciam as transmissões de informações. Carl Rogers proporcionou para os pedagogos algumas perguntas fascinantes e importantes com respeito aos seus modos de estar com participantes, e os processos que eles poderiam empregar. Acredito que esse conceito se aplica aos estudantes em situações de testes. Quando se está em uma situação onde há uma incoerência entre a própria imagem e a experiência, está por exemplo em uma situação ameaçadora. Quando estiver esperando uma situação ameaçadora, você sentirá uma ansiedade, isso é um indicativo de que terá aborrecimento pela frente. Essa prática é comum no meio estudantil, para evitar, muitas vezes o indivíduo por insegurança foge do problema e transforma esse ato em uma opção de vida. É um ato de defesa. Isso pode se transformar em um ciclo vicioso. Rogers tem suas idéias de defesa parecidas com as de Freud. Existe uma relação entre testes com perguntas e resultados, método visto até como repressivo. Existe uma questão apresentada nessa relação que é muito interessante; um estudante quando vai mal em algum tipo de teste, pode perfeitamente culpar o professor, julgando improcedentes as informações transmitidas. O fato é que às vezes os professores são negligentes, escrevem perguntas em formas de pegadas ( truques ), isso só prejudica o trabalho. Para Rogers nós precisamos de considerações positivas, para termos condições de transformar de alguma forma nosso organismo, avaliando nossas tendências e atualizações dentro de uma sociedade que pode ou não absorver nossos interesses. A criança de forma geral pode ser "saudável e feliz". Rogers era um grande escritor. A declaração mais completa da teoria dele está em Terapia Cliente-centrada (1951) . Duas coleções de composições são muito interessantes: Em Se tornar uma Pessoa (1961) e Um Modo de Ser (1980) . Há uma coleção agradável do trabalho dele em O Carl Rogers Reader, editado por Kirschenbaum e Henderson (1989). Ele proveu terapia, fez discursos, e escreveu, até a morte em 1987.
Fonte: http://www.pedagogas2na.hpg.ig.com.br/mestres/mestres.htm

Postagens mais visitadas deste blog

PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA: SUBJETIVIDADE E MUNDO SOCIAL

DINÂMICA DE GRUPO - CONCEITOS DA TEORIA DE WILL SCHUTZ

PSICOMOTRICIDADE: PRINCIPAIS CONCEITOS