Postagens

Mostrando postagens de 2012

COMUNICAÇÃO INTERNA E O DIÁLOGO NAS ORGANIZAÇÕES

Destaco aqui uma transcrição do capítulo 3 Comunicação Interna e o diálogo nas organizações, de autoria da Professora Titular Sidinéia  Gomes Freitas, da Escola de Comunicações e Artes da USP, acessível no livro Gestão Estratégica em Comunicação Organizacional e Relações Públicas, de Margarida Maria Krohling Kunsch (Org), pág 140-153. Este capítulo é interessante e atual para uma reflexão dentro do contexto organizacional. Vale a pena conferir... Mirian .................................................................................................................................................................... Comunicação Interna e o diálogo as organizações Sidinéia Gomes Freitas Este capítulo indica mecanismos para inserção da prática da liderança compartilhada e do diálogo nas organizações como diretrizes para o desenvolvimento de boas relações entre ela e seu quadro de colaboradores. Partindo da análise de pressupostos do bom relacionamento na perspectiva das relações públicas…

PRINCÍPIOS DA GOVERNANÇA CORPORATIVA

Olá internautas,
Tenho estudado com afinco, temas relacionados a Administração Geral e a Administração Pública. Entre uma leitura e outra encontrei artigos interessantes  sobre os temas Liderança, Estratégias e Planos, Resultados, Processos e Modelos de Excelência em Gestão.  Navegando no site do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa  IBGC encontrei os princípios a seguir, que certamente se aplicam aos gestores da Administração Pública. Vale uma reflexão e também a aplicação...
Princípios da Governança Corporativa:
- Transparência: mais que a obrigação de informar é o desejo de disponibilizar para as partes interessadas as informações que sejam de seu interesse e não apenas aquelas impostas por disposições de leis ou regulamentos. A adequada transparência resulta um clima de confiança, tanto internamente, quanto nas relações da empresa com terceiros. Não deve restringir-se ao desempenho econômico-financeiro, contemplando também os demais fatores (inclusive intangíveis) que n…

COMO FUNCIONA A CABEÇA DE UM CORRUPTO

Diversos especialistas procuram explicar por que certas pessoas não seguem os preceitos coletivos da ética. É difícil compreender a psique de uma pessoa insensível à ética. A psicanálise, as ciências sociais e a filosofia ajudam a pesquisar o mistério.  Por Judith Patarra Astucioso, egoísta, alerta às chances de burlar os cidadãos e o Estado, espantoso desrespeito pelo bem comum e pelas leis esta a imagem que se tem do corrupto, o mais notório personagem da realidade política atual, no Brasil e, pode-se dizer, no mundo. Mas quem, afinal, são os corrup-tos?, provoca o psicanalista Manoel Tosta Berlinck, de São Paulo. Aqueles que trabalham para o governo e se apropriam de bens públicos? Os profissionais liberais que não declaram integralmente seu imposto de renda? O chefe de compras que aceita propina para escolher o fornecedor da empresa onde trabalha? Toda a população, enfim, porque não exige nota fiscal ao fazer suas compras e facilita aos comerciantes lesar o fisco? Um …

DIFERENÇA ENTRE TREINAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS

As organizações, em sua grande maioria, ainda estão adotando os formatos tradicionais de treinamento, em que alguém assume a responsabilidade de ensinar as pessoas, de forma circunstancial e eventual. Para Boog (2001), essa forma de estruturar os treinamentos nem sempre apresenta a eficácia desejada no processo de desenvolvimento das pessoas.
O autor ressalta que o insucesso dessa forma está na maneira pronta e acabada com que é consumido, constituindo-se simplesmente em uma aquisição instrumental. Por outro lado, se o conhecimento é estruturado de forma aberta e participativa, isto é, um conhecimento interativo edificado entre o profissional de treinamento e seus clientes – os profissionais da linha de frente e das outras áreas da empresa – os resultados são mais assertivos para a organização e para os atores envolvidos no processo.
De acordo com Canabrava e Vieira (2006, p. 72), a diferença entre treinamento e desenvolvimento de pessoas consiste em:
O treinamento é uma oportunidade…

AS DIFERENÇAS ENTRE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO

Há muito tempo discute-se a importância da área de T & D nas empresas. Porém, sabemos que o “forte” desta área é, na maioria das empresas, o treinamento. Será que ele traz mais retorno?
Perguntei a um amigo que não é da área de Recursos Humanos, se ele saberia me dizer a diferença entre um e outro, ele me respondeu: “Treinamento é treinamento para o cargo, desenvolvimento é uma série de treinamentos passados de forma a criar habilidades novas, ou despertar novas habilidades.” (Boa Maurão!).
Então vamos aprofundar um pouco o assunto.
O Treinamento é o processo de mudanças no comportamento dos colaboradores, visa a aquisição de habilidades relacionadas às tarefas do cargo – atendendo aos padrões e aumentando a produtividade , aperfeiçoamento de desempenhos e das relações interpessoais. Segundo Boog (2001, p. 78) o treinamento começa como uma resposta a uma necessidade ou a uma oportunidade em um ambiente organizacional. Os resultados de um treinamento geralmente são satisfatórios e…

TREINAMENTO PARA COMPETÊNCIAS, DESENVOLVIMENTO PARA VALORES E TRANSDISCIPLINARIDADE

Todas as organizações falam de competências e parecem ter seus modelos de gestão por competências. Curioso, parecem bancos competindo. A prática de um é rapidamente copiada. Em competências, ocorre algo muito parecido. Mudam alguns títulos das competências, mas a impressão que se tem é que todas as empresas, de segmentos diferentes, procuram as mesmas coisas. Senão, vejamos. Sua empresa procura pessoas com ‘alto foco em resultados’? Ou procura pessoas com ‘capacidade empreendedora’? Ou, curiosamente, com ‘visão geral, sistêmica’? Ou, ainda, quer perfil ‘desenvolvedor de pessoas’? Ou quer pré-requisitos como falar dois idiomas (guess what, english? español, si como no?), ter morado em outros países, ter disponibilidade geográfica, ‘ter competência cognitiva’. Enfim, diferentes expressões para focar coisas parecidas.
O mercado passou a – erroneamente – adotar o ‘CHA’ (conhecimento, habilidade, atitude) como explicação simplista para o conceito de competência. Não sei de onde isto foi …

O QUE É SER LÍDER

Ser líder não tem nada a ver com ser chefe O líder consegue extrair as habilidades individuais dos elementos da sua equipe, combinando-as na busca da sinergia. A água que bebemos é fruto da sinergia entre o hidrogênio e o oxigênio. Por Eduardo Zugaib No trabalho, entre amigos, em família, no seu grupo religioso… não importa. Basta que pessoas com objetivos comuns se reúnam, que sempre haverá aquela que se destaca, que pensa à frente e que acaba conduzindo o grupo nas decisões. Essa pessoa que atrai a atenção e a admiração do grupo é aquela que chamamos de líder. Você lidera ou manda? Liderança é uma capacidade que se conquista mais pelo respeito e pela admiração dos outros, do que por cargos nomeados ou ameaças. O verdadeiro líder é aquele em quem o grupo se espelha, e que serve como referência na hora em que cada uma dessas pessoas tem que tomar suas próprias decisões. Para ser líder, ao contrário do que muitos pensam, é preciso um alto índice de humildade e de generosidade. São essas car…