ADEUS PROFESSOR, ADEUS PROFESSORA?

LIBÂNEO, José Carlos. Adeus professor, adeus professora? Novas exigências educacionais e profissão docente. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.
O autor apresenta questões relacionadas com novas exigências de formação de professores colocadas pelas novas realidades contemporâneas, visando uma qualidade de ensino para todos, sob uma perspectiva emancipadora. O autor permite-nos refletir sobre o papel da escola e dos professores neste momento da história, chamado de sociedade pós-moderna. Diante das transformações tecnológicas e científicas que intervém nas várias esferas da vida social, trazendo mudanças políticas, culturais, econômicas e sociais, o autor aponta para a valorização da escola e o engrandecimento do professor sem contudo, esconder os problemas existentes, tais como, falta de políticas globais e medidas tímidas por parte do governo, no que diz respeito a “reformas” para a educação e além disso, a falta de qualificação profissional do professorado, a tendência de desprofissionalização e o decréscimo do conceito social da profissão na sociedade. O autor coloca que a escola deve deixar de ser mera transmissora de informação para transformar-se em um lugar de análise crítica e produção de informações. O conhecimento deve possibilitar a atribuição de significado à informação. A escola deve introduzir o aluno no significado da cultura e da ciência. As atitudes docentes, segundo o autor, devem ser a de assumir o ensino como mediação na aprendizagem ativa do aluno, ou seja, o professor deve considerar os conhecimentos, a experiência e os significados que os alunos trazem à sala de aula, seu potencial cognitivo, sua maneira de pensar, e, assim transformar o sujeito num ser pensante. Também deve contribuir para ligar o conhecimento científico a uma cognição prática para compreender a realidade e transformá-la. Ainda, destaca que deve desenvolver comportamento ético e saber orientar os alunos em valores e atitudes em relação à vida e às relações humanas. O autor aponta para a necessidade de resgatar a profissionalidade do professor, ampliar a ação dos sindicatos, de modo que a profissão ganhe mais credibilidade. Enfim, contribuir para que os professores em exercício e afins se unam em torno da idéia de que “ensino de qualidade afinado com as exigências do mundo contemporâneo é uma questão moral, de convivência e de sobrevivência profissional” (LIBANEO, p. 50)

Postagens mais visitadas deste blog

PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA: SUBJETIVIDADE E MUNDO SOCIAL

DINÂMICA DE GRUPO - CONCEITOS DA TEORIA DE WILL SCHUTZ

PSICOMOTRICIDADE: PRINCIPAIS CONCEITOS