Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2013

A CASTIDADE IMPOSSÍVEL, A LUXÚRIA MALDITA

Imagem
Excelente palestra com o professor Luiz Felipe Pondé.

A CASTIDADE IMPOSSÍVEL, A LUXÚRIA MALDITA



A luxúria é um dos pecados mais sérios. Através dela nos perdemos na escravidão do desejo pelo corpo. A castidade (que não deve ser confundida com virgindade) é o correto uso do desejo pelo corpo. A imagem mais comum da perda da castidade é a pessoa que faz sexo sem amor, a mulher fácil, o homem promíscuo. No mundo contemporâneo, a luxuria se confunde com a liberdade sexual, mas passada a euforia, nos perguntamos: o excesso no sexo é sempre infeliz?

SER ARTISTA

SER ARTISTA
Mirian Lopes


Ser artista é antes de tudo ser humano. Ele sente, sofre, sonha, ri, chora, dúvida, se questiona, se angustia, desabrocha, derrete, ama, foge e se encontra. Ser artista é ser autêntico, ser estranho e ser comum ao mesmo tempo. Já dizia Oscar Wilde: “nenhum grande artista, vê as coisas como realmente são, caso contrário, deixaria de ser um artista”. O artista é aquele que viaja em várias dimensões sem que precise locomover-se geograficamente. É o que acolhe o sopro da criação para diluí-lo em múltiplas direções, formas e sentidos. O artista é instrumento por onde fluem o saber, a emoção, o impensado, o êxtase, a beleza, o impacto, os significados, o silêncio, o diferente, o vazio e o encontro consigo. Ele tem a sentença de eterno sonhador e deve aprender a conviver com o improvável, com a incompreensão, com os temores, com a dor, com a contradição dos sentimentos, com a ausência, com os limites, com as fragilidades, com as perdas, com as inquietações, com o suces…

A ARTE DE ESCREVER

A ARTE DE ESCREVER Mirian Lopes
Escrever é uma arte que exige coragem e ousadia, pois conduz-nos para um caminho novo e desconhecido. É um exercício que requer entrega, pois quem escreve dedica-se a fazer aquilo que não sabe. Digo que não sabe, pois ao se colocar diante da página em branco, depara-se com labirintos de dificuldades, o de iniciar suas primeiras linhas a partir de percepções ou do que lhe coloca em suspensão.  Reconhecer-se como escritor é compreender e aceitar esta condição como um acontecimento, que ocorre através do conhecimento de si mesmo. Este nos conduz para um mergulho nos lugares mais profundos da alma e nos faz aceitar o ato de escrever como necessário. Faz-nos mais próximos da natureza para ver o que vivemos, o que amamos e o que perdemos. Um olhar que alcança as imagens, as lembranças, os lugares talvez invisíveis aos olhares menos atentos. Faz-nos compreender o sentido da solidão como condição por onde brotam as reflexões, as palavras. Escrever leva-nos para al…

CAMINHOS IMAGINÁRIOS: O AMOR E O PRAZER

Imagem
Meu primeiro ensaio publicado na PerSe, poesias e crônicas. Um percurso poético que teve início na adolescência com pequenas frases e rabiscos em papéis...E que ganhou forma, a partir de 2007... Um prazer, permitir-se aventurar no mundo das palavras...Mais um projeto realizado.
CAMINHOS IMAGINÁRIOS: O AMOR E O PRAZER

SOBRE A IMPORTÂNCIA DA CONCENTRAÇÃO EM TUDO O QUE SE FAZ

"...deve-se aprender a ficar concentrado em tudo o que se faz, em ouvir música, em ler um livro, em falar com uma pessoa, em ver uma paisagem. A atividade do momento presente deve ser a única coisa que importa, a que merece plena entrega. Se se está concentrado, pouco importa aquilo que se esteja fazendo; as coisas importantes, assim como as sem importância, assumem nova dimensão de realidade, porque detêm a integral atenção da pessoa. Aprender concentração, exige que se evite, tanto quanto possível, a conversação trivial, isto é, a conversação que não é genuína. Se duas pessoas falam a respeito do crescimento de uma árvore que ambas conhecem, ou do gosto do pão que acabam de comer juntas, ou acerca de uma experiência comum em seu serviço, tal conversa pode ser importante, desde que elas experimentem aquilo de que falam e não tratem disso de maneira abstraída; por outro lado, uma conversação pode tratar de assuntos de política ou religião e, contudo, ser trivial; isto acontece …

A ARTE DE AMAR - ERICH FROMM

Imagem
"O amor não é, primacialmente, uma relação para com uma pessoa específica; é uma atitude, uma orientação de caráter, que determina a relação de alguém para com o mundo como um todo, e não para com um “objeto” de amor. Se uma pessoa ama apenas a uma outra pessoa e é indiferente ao resto dos seus semelhantes, seu amor não é amor, mas um afeto simbiótico, ou um egoísmo ampliado. Contudo, a maioria crê que o amor é constituído pelo objeto e não pela faculdade. De fato, acredita-se mesmo que a prova da intensidade do amor está em não amar ninguém além da pessoa “amada”. Este o mesmo equívoco de que acima já falamos. Por não se ver que o amor é uma atividade, uma força da alma, acredita-se que tudo quanto é necessário encontrar é o objeto certo — e tudo o mais irá depois por si. Tal atitude pode ser comparada à de alguém que queira pintar mas, em vez de aprender a arte, proclama que lhe basta esperar pelo objeto certo, passando a pintá-lo belamente quando o encontrar. Se verdadeirament…

A PAIXÃO VISTA PELO ENAMORADO - PSICANALISTA JURANDIR FREIRE COSTA

Imagem
Neste vídeo o psicanalista Jurandir Freire discute a dinâmica emocional do estado amoroso.


A SEPARAÇÃO DOS AMANTES - FLÁVIO GIKOVATE

Imagem
"O amor é o sentimento que se tem pela pessoa cuja a presença provoca em nós a sensação de paz, aconchego  e tranquilidade, ou seja, completude que nos falta quando estamos sozinhos, em outra palavras, o amor é o que nos tira do desgosto da solidão". Flavio Gikovate 

BAÚ DE TESOUROS

BAÚ DE TESOUROS Mirian Lopes
Aqueles corpos sagrados tornaram-se abrigo. Desde então, foram transformados! Estavam sem viço e adormecidos, mas, do longo sono foram despertos. A suavidade do toque daquelas mãos os faziam desabrochar, como as flores na primavera. Somente elas portavam o segredo chamado "despertar", e traziam vigor para a pele, tal como o frescor da chuva a cair sobre a grama, cheiro de terra molhada! Os beijos quentes salpicados pelo corpo refletiam nos olhos, o brilho inconfundível: sentiam-se amados, sentiam-se plenos. Apenas um sopro de vida era capaz de enlevá-los e transformá-los, Rei e Rainha para o Reino de Amor!
Naquele tempo, gotas tocaram seus lábios: uma poção mágica. Desde então, permaneceram encantados! E toda a beleza daquele instante fora guardada no Baú de Tesouros, em algum lugar do coração. Finalmente, encontrou a chave para abri-lo, e cuidadosamente passeou com os olhos por cada relíquia. Lá estava o delicado brinco de cristal, outrora perd…

CALIPSO E O NAVEGANTE

CALIPSO E O NAVEGANTE Mirian Lopes
O sabor da uva Mavrodaphne na pele é incendiário! Vinho que cai lentamente sobre os desalinhados cabelos. Escorre sobre a face corada a deslizar pelos cálidos lábios. Percorre o desenho curvilíneo do corpo! Aquele olhar perspicaz e belo, o alcança, o domina inteiramente. Há como escapar? Não. É mesmo estonteante! Então, os fortes braços a envolvem... Com sofreguidão os lábios se encontram numa sincronia perfeita! É preciso fôlego se destinados estão a se derreterem de amor!  Onde estão? No mar... Calipso e o Navegante, mergulhados nas águas profundas e na doçura que a natureza nunca há de negar! A ninfa do mar a mirar o barco de seu amado, nas encostas da pequena ilha...
************************************************ Calipso (do grego antigo Καλυψώ) na mitologia grega é uma ninfa do mar. Segundo Hesíodo seria uma das Oceânides filhas dos titãs Oceano e de Tétis, e vivia em uma gruta, na encosta de uma montanha na ilha de Ogígia. No texto da Odisseia, atri…

CALÍOPE E A CANÇÃO

Mirian Lopes
Calíope canta suavemente a canção... Um belo anoitecer e amanhecer para ti. Sinto muito, Oh! Apolo, pelas últimas notas desta composição. Que equívoco há no tempo e nas pontuações irrelevantes, como você prefere, assim dizer! O caminho é mesmo solitário e talvez seja somente meu. Oh! Apolo, talvez falte harmonia em alguns aspectos deste compasso. Talvez tenhas muitos afazeres no Olimpo, que não possas dedicar alguns minutos do teu sagrado tempo para ouvir canções essencialmente apaixonadas. Em algum lugar, enquanto sonhava, cantei numa inesquecível entrega. Porém, uma pausa se pronunciou quando a corda da Lira se soltou... Esta canção, como cantá-la? O Olimpo não alcancei... Você compreende a impossibilidade de alcançá-lo. És Apolo. Convenço-me disso. Sou Calíope e pergunto:  Por que a melancolia desta canção? Ela nasce de amar cegamente. Oh! Triste canção, só a pausa inscrita. Como a corda da Lira religar? Sem solução. Linhas silenciosas serão gravadas na pauta. Uma ca…

POESIAS DE FLORBELA ESPANCA

SE TU VIESSES VER-ME... Florbela Espanca
Se tu viesses ver-me hoje à tardinha, A essa hora dos mágicos cansaços, Quando a noite de manso se avizinha, E me prendesses toda nos teus braços...
Quando me lembra: esse sabor que tinha A tua boca...o eco dos teus passos... O teu riso de fonte...os teus abraços... Os teus beijos...a tua mão na minha...
Se tu viesses quando, linda e louca, Traça as linhas dulcíssimas dum beijo E é de seda vermelha e canta e ri
E é como um cravo ao sol a minha boca... Quando os olhos se me cerram de desejo... E os meus braços se estendem para ti...



MISTÉRIO Florbela Espanca
Gosto de ti, ó chuva, nos beirados Dizendo coisas que ninguém entende Da tua cantilena te desprende Um sonho de magia e de pecados
Dos teus pálidos dedos delicados Uma alada canção palpita e acende Frases que a nossa boca não aprende Murmúrios por caminhos desolados
Pelo meu rosto branco sempre frio Fazes passar o lúgubre arrepio
Das sensações estranhas dolorosas...

Filme: Florbela - Os Amores de Florbela Espanca - 2012

Um filme interessante sobre a vida da poetisa portuguesa, Florbela Espanca, uma mulher que viveu de forma intensa e não conseguiu amar docemente. Uma mulher forte e determinada que escreveu o que sentiu, o que amou, o que sofreu. 

REALIDADE Florbela Espanca Em ti o meu olhar fez-se alvorada
E a minha voz fez-se gorjeio de ninho
E a minha rubra boca apaixonada
teve a frescura pálida do linho.

Embriagou-me o teu beijo como vinho
Fulvo de Espanha em taça cinzelada
E a minha cabeleira desatada
Pôs a teus pés a sombra dum caminho.

Minhas pálpebras são cor de verbena
Eu tenho os olhos garços, sou morena
E para te encontrar foi que eu nasci

Tens sido vida fora o meu desejo
E agora que te falo que te vejo
Não sei se te encontrei, se te perdi.

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR EM TDSH?

Por Mirian Lopes

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-IV-TR), 4ª edição, revisado, o Transtorno de Desejo Sexual Hipoativo (TDSH) é uma deficiência ou ausência de fantasias sexuais e desejo de ter atividade sexual (Critério A). Esta disfunção sexual pode ocorrer tanto em homens quanto mulheres.  O TDSH tem sido muito referido por mulheres, o que conduz a uma revisão do conceito de resposta sexual feminina. O modelo proposto por Basson (2000) é constituído pelas fases de desejo, excitação, orgasmo e resolução ou relaxamento, com o diferencial de que as respostas femininas resultam mais da necessidade de intimidade do que propriamente de uma estimulação sexual física. Assim sendo, a motivação para que as mulheres tenham atividade sexual costuma se basear em recompensas, não necessariamente sexuais, como a intimidade, o contato, o desejo de agradar o parceiro.  A autora afirma que a mulher pode sair de um estado de neutralidade sexual e motivada pela …

OS NOVOS LÍDERES DO SÉCULO 21: UM NOVO CONCEITO DE LIDERANÇA?

Por Pablo Vasconcelos – Artigo apresentado no IX CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (20, 21 e 22 de junho de 2013).
Resumo: O Objetivo deste trabalho é desenvolver conceitos sobre o perfil de um líder moderno, tendo como referência a via democrática em contraposição ao modelo autoritário de gestão nas corporações, ao mesmo tempo em que se apresenta as mudanças de perspectivas de liderança ao longo da história. Pretende-se diagnosticar as diferenças entre líder e chefe dentro de uma empresa, identificar as qualidades de um jovem líder do século XXI e o seu perfil bem-sucedido. Para tanto, será utilizada pesquisa bibliográfica, tendo como referência autores ligados à administração pública. Palavras-chaves: Líder, empresa, perfil, chefe, gestão.
1. Introdução
Em artigo publicado no jornal o Globo, em março de 2013, o jornalista Arnaldo Bloch dedicou sua coluna semanal ao tema liderança mundial. No texto intitulado “Quem é o líder”, ele propõe que o mundo está sentindo falta de gra…