terça-feira, junho 30, 2015

ATENDIMENTOS CLÍNICOS EM SEXUALIDADE HUMANA

Olá queridos, comunico que estou realizando atendimentos clínicos: Psicoterapia Breve Psicodinâmica; Terapia Sexual (disfunções sexuais tais como inibição de desejo, dispareunia, anorgasmia, ejaculação precoce, entre outras dificuldades relacionadas à sexualidade humana); Aconselhamento psicológico, Intervenções Psicoeducativas e Palestras em Sexualidade Humana. Endereço: Rua Silvia, 383, Jardins/Paulista - 200m do metrô Trianon/Masp - Fone: (11) 3262-1447

RECEPÇÃO
SALA DE ATENDIMENTO

SALA DE ATENDIMENTO


domingo, junho 28, 2015

AROMA DE CAFÉ

AROMA DE CAFÉ

A água em ebulição derramada sobre o filtro claro a dissolver a cor marrom. Nas xícaras, aroma agradável que se eleva alcançando sentidos, provocando bem-estar, evocando memórias, boas lembranças carregadas pelo tempo. O prazer de debruçar sobre as estórias, as imagens, a degustar o que se apresenta para os olhos. O ritual implícito no sabor de um bom café, acompanhado de sorrisos, conversas entrecortadas de sentidos. Um lugar ocupado por mim e por você, um espaço histórico, onde a beleza colore: coisas mágicas do existir. Perceber detalhes, estar presente literalmente diante do outro, diante de si mesmo. Só compreende quem vivencia a leveza de encontros singulares, regados pelo aroma de café; mais do que uma bebida rústica ou sofisticada, um pretexto ou contexto para desligarmos das tensões diárias, e sem pretensões, chegar, ficar assim viajando na névoa quente que sai da xícara e se desfaz no ar. Como aprecio instantes assim: nossos instantes de vida.

Texto e desenho: Mirian Lopes
28/06/2015



quarta-feira, junho 24, 2015

SITE MIRIANLOPESPSICOLOGA


Olá amigos,

É com satisfação que informo o link para o meu site de psicologia mirianlopespsicologa. Sejam bem-vindos! Vocês poderão ler artigos em sexualidade e conhecer melhor meu trabalho! Agradeço a visita! 

Um abraço,

Mirian Lopes

sábado, junho 20, 2015

EXPERIÊNCIAS E REFLEXÕES

Depois de um dia inteiro mergulhada em debates, troca de experiências com outros colegas profissionais da área clínica, hospitalar, jurídica, pesquisadores,







Enfim, tecendo reflexões sobre o cuidado, a saúde pública, o direito, a sexualidade, a vulnerabilidade social, os aspectos tão delicados e complexos,







sinto-me feliz por estar participando e contribuindo neste espaço de diversidade e construção de possibilidades, de sentidos de existência.








Como é significativo abraçar e exercer o que se ama, agora em tempo integral. Sinto-me confortável na interlocução com outro, no acolhimento das narrativas, nos encontros que acendem luzes, uma nascente...

 Texto: Mirian Lopes
(Seminário na Sede do CRP-SP)

quinta-feira, junho 18, 2015

DIREITOS SEXUAIS E REPRODUTIVOS






Programação
Data: 19 de junho de 2015
Horário: 9h às 17h
Local: Auditório do CRP SP 
Rua Arruda Alvim, 89 - Jd. América, São Paulo/SP

O evento terá transmissão online, via CRP WEB TV. 
Acesse: www.crpsp.org.br/aovivo

Importante:
 Sua reserva será garantida até às 9h 

Entrada gratuita


08h30 às 09h00
Credenciamento e Café de Boas-vindas


09h00 às 09h30
Mesa de Abertura
Representantes do Conselho Regional de Psicologia de São Paulo - CRP 06.


09h30 às 11h00
Mesa 1 - Direitos Sexuais e Reprodutivos no Estado de Direito: Conceituando o Campo
Anna Paula Uziel - Professora adjunta da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Coordenadora do Laboratório Integrado em Diversidade Sexual e de Gênero, Políticas e Direitos da UERJ (LIDIS/UERJ).
Fernando Aith - Advogado, Professor do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - USP, Doutor em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da USP, Mestre em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela Faculdade de Direito da USP, possui DEA em Direito Médico e da Saúde pela Universidade de Paris 8. 


11h00 às 12h00
Debate 


12h00 às 14h00
Intervalo/Almoço/Atividade Cultural


14h00 às 15h30
Mesa 2 - Redes de Assistência aos Direitos Sexuais e Reprodutivos: o papel das políticas públicas

Daniela Pedroso - Psicóloga do Núcleo de Violência Sexual e Aborto Previsto em Lei do Hospital Pérola Byington. Mestre em Saúde Materno Infantil. Doutoranda em Ciências da Saúde.

Julieta Quayle - 
Pesquisadora. Docente. Psicoterapeuta e Psicóloga Clínica e Hospitalar, com experiência de 40 anos em Psicologia da Saúde e Psicologia da Mulher.

Luis Fernando de Oliveira Saraiva - Conselheiro do Conselho Regional de Psicologia de São Paulo - CRP 06.



15h30 às 16h30
Debate


16h30 às 17h00
Encaminhamentos Finais/Encerramento

sexta-feira, junho 12, 2015

AMOR-ACONCHEGO

Olá queridos!

Que lindo dia dos namorados! (que para mim é todo o dia...risos)
Compartilho uma reflexão, aos que amam e aos que desejam amar...

"O amor é antes um sentido transcendente, fruto de experiências prazerosas diversas na vida dos sujeitos; isto é, ele vai se constituindo a partir de sínteses constantes e dinâmicas de consciências satisfatórias e positivas, tais como alegria, admiração, atração, paixão, desejo, solidariedade, cumplicidade, que vão se configurando em práticas tais como cuidado com o outro, carinho, preocupação e companheirismo, as quais são significadas pelo contexto sociocultural em que vivem os parceiros, pela história particular de cada um e pelo desejo futuro de ambos". (Pretto, Z.; Maheirie,K; Filgueiras Toneli, Um olhar sobre o amor no ocidente, 2009).


AMOR-ACONCHEGO

Eu te amo! Uma doce canção aos meus ouvidos, reverberando continuamente. Amor-aconchego, que traz alegria e cura. Está no brilho intenso dos olhos que se encontram e no beijo pleno, sintonizado, que faz flutuar. Está no primeiro e último pensamento, que faz desejar estar junto. Está no abraço, no sorriso e no afago dos cabelos, gestos que falam mais que mil palavras. Está no cheiro, na presença que colore os espaços. Amor que nos faz sentir pura beleza, maravilhosamente, mesmo quando estamos de chinelos e cabelos emaranhados. Amor que dá prazer em tecer diálogos, horas e horas, a perder de vista o tempo, a degustar a eloquência do silêncio que apazigua e nos faz adormecer. Amor que acompanha, compreende e aceita o que somos. Amor que nada exige em troca, que é doador, que cresce na construção do caminho. Quando não é possível imaginar de modo algum, o futuro sem a pessoa amada, e envelhecendo você continuar encantado por ela, preferindo morrer antes, a vê-la partir: com certeza, o amor chegou em sua vida, e que dádiva! 
Texto: Mirian Lopes, 12/06/2015
Foto: A. Palma


quinta-feira, junho 11, 2015

MURAL DE ARTES - CONFIRAM!!!


"A arte livra-nos ilusoriamente da sordidez de sermos. Enquanto sentimos os males e as injúrias de Hamlet, príncipe da Dinamarca, não sentimos os nossos – vis porque são nosso e vis porque são vis.
O amor, o sono, as drogas e intoxicantes, são formas elementares da arte, ou, antes, de produzir o mesmo efeito que ela. Mas o amor, sono e droga tem cada um a sua desilusão. O amor farta ou desilude. Do sono desperta-se e, quando se dormiu, não se viveu. As drogas pagam-se com a ruína de aquele mesmo físico que serviram de estimular. Mas na arte não há desilusão porque a ilusão foi admitida desde o princípio. Da arte não há despertar, porque nela não dormimos, embora sonhássemos. Na arte não há tributo que paguemos por ter gozado dela. O prazer que ela nos oferece, como em certo modo não é nosso, não temos nós que pagá-lo ou que arrepender-nos dele.
Por arte entende-se tudo que nos delicia sem que seja nosso – o rasto da passagem, o sorriso dado a outrem, o poente, o poema, o universo objetivo. Possuir é perder. Sentir sem possuir é guardar, porque é extrair de uma coisa sua essência."  Fernando Pessoa In: Livro do desassossego p. 270.


Olá amigos,

O Mural de Artes (clique aqui) é um espaço de exposição de artes (textos, fotografias, música, videos, entre outras formas de expressão) dedicado a provocar sentidos, apresentar amigos artistas e promover encontros... apreciem...

ANALÍTICS