POESIAS DE FLORBELA ESPANCA

SE TU VIESSES VER-ME...
Florbela Espanca

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca...o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte...os teus abraços...
Os teus beijos...a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...




MISTÉRIO
Florbela Espanca

Gosto de ti, ó chuva, nos beirados
Dizendo coisas que ninguém entende
Da tua cantilena te desprende
Um sonho de magia e de pecados

Dos teus pálidos dedos delicados
Uma alada canção palpita e acende
Frases que a nossa boca não aprende
Murmúrios por caminhos desolados

Pelo meu rosto branco sempre frio
Fazes passar o lúgubre arrepio

Das sensações estranhas dolorosas...

Postagens mais visitadas deste blog

PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA: SUBJETIVIDADE E MUNDO SOCIAL

DINÂMICA DE GRUPO - CONCEITOS DA TEORIA DE WILL SCHUTZ

PSICOMOTRICIDADE: PRINCIPAIS CONCEITOS