sábado, agosto 29, 2015

QUEM, HOJE, AINDA TEM UMA ALMA?

“A experiência cotidiana parece demonstrar uma redução espetacular da vida interior. Quem, hoje, ainda tem uma alma? (...). Porque impõe-se a constatação: pressionados pelo estresse, impacientes para ganhar e gastar, para gozar e morrer, os homens e as mulheres se poupam dessa representação de sua experiência que se chama uma vida psíquica (...). Não se tem nem o tempo nem o espaço para dar para si uma alma. (...) As novas doenças da alma são as dificuldades ou incapacidades de representações psíquicas que chegam a colocar à morte o espaço psíquico." (Kristeva, 1993, p. 15-19 apud Lebrun, 2004, p. 141). LEBRUN, Jean-Pierre. Um mundo sem limite: ensaio para uma clínica psicanalítica do social. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 2004.

ANALÍTICS