A LEVEZA DO SER

A LEVEZA DO SER
Mirian Lopes

Muito calor por aqui. Você já viu a lua? Perguntou-me o beija-flor. Este não só batia suas asas, serelepe, mas, tinha o poder da comunicação. Neste Céu, não é possível ver a lua, pois ele é cinza e encobre até as estrelas. Contudo, no Céu das lembranças é possível vê-lo estrelado, assim, como é o seu Céu beija-flor, salpicado de estrelas grandes e pequenas. Pareço uma adolescente, lá do interior. Sou mesmo. Adorava acordar com o cantar do galo, lá fora na beira da minha janela.  Ainda conservo minhas raízes; elas me fazem jovem. Adorava ficar sentada num banquinho, ora no quintal de casa, ora no portão sob a luz da lua, a olhar o céu para encontrar as constelações: as Três Marias de Órion, a Ursa maior, Centauro, e por aí vai... E você beija-flor? Já viu as Três Marias? Ah, são tantas estrelas que é difícil achá-las! Ele me disse.  Beija-flor, eu as vi sempre enfileiradas no Céu. E o Cruzeiro do Sul! Adorava andar com os pés na terra, deitar em baixo de árvores e ver vaga-lumes piscando. Ao entardecer, ouvir as cigarras. Você tem o rico privilégio da natureza e pode se alegrar. Você me traz coisas boas, beija-flor! De fato são fortes lembranças que me dão leveza. 
Hoje saí para caminhar embaixo de árvores. Vi pássaros diferentes que não sei nomear. Estavam no gramado. Vi tocos de árvores sangrando literalmente no chão. Foram cortadas e do seu caule, no centro, escorria um óleo vermelho vítreo, como se estivessem a chorar pela ruptura. Quase fotografei. Se estiverem lá, amanhã farei as fotos. Ando a ver beleza em cada coisa que toco; algo novo dentro de mim. Uma inquietação positiva; a vida a pulsar dentro do peito. Numa intensidade, a perceber o que sinto, a observar feliz que estou bem viva, com vontade de abraçar o mundo como se coubesse em mim! Tudo parece invadir meus sentidos, as cores, as formas, o sol, o ar, o paladar. Tudo é prazer! 
Beijaria você beija-flor, mas esta sempre a voar! E eu aqui, inteira, natural, vaporosa, leve e solta, cor-de-rosa, pura liberdade! Reconheci e aceitei o que faz parte de mim, e assim será até o fim dos meus dias! Esse jeito de ser.  Essa condição que está no olhar, no sorriso, no andar, na voz, nos gestos, na companhia dos bons momentos a partilhar, nos pensamentos e na presença. Estou a preparar-me para outro tempo, o nosso, o tempo em que podemos criar, o que o querer ditar, o que desejarmos! A leveza do Ser beija-flor! 

Postagens mais visitadas deste blog

PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA: SUBJETIVIDADE E MUNDO SOCIAL

DINÂMICA DE GRUPO - CONCEITOS DA TEORIA DE WILL SCHUTZ

PSICOMOTRICIDADE: PRINCIPAIS CONCEITOS